Arquivo | Isabela RSS feed for this section

Pra Ser Sincero

23 dez

Livro: Pra Ser Sincero
Autor: Humberto Gessinger
Ano: 2009

O livro “Pra ser Sincero” é dividido em três partes: uma autobiografia do Humberto, algumas letras das canções dos Engenheiros e a parte “Para entender”, que traz um ensaio do professor de literatura da UFRGS, Luís Augusto Fisher.

Na primeira parte são relatadas principalmente histórias dos Engenheiros do Hawaii, não apenas fatos acontecidos com o Humberto. Conta um pouco sobre o Pouca Vogal também, seu projeto com o Duca Leindecker (Cidadão Quem).

O livro todo é escrito com uma linguagem bem poética e particular do Humberto Gessinger. Contém algumas fotos.

Na segunda parte, além das letras, há também ilustrações e comentários sobre quase todas as músicas.

Na terceira e última parte, com Luís Augusto, ele escreve sobre o papel que os Engenheiros do Hawaii tem na questão cultural do país.

Anúncios

A Era do Consenso

14 dez

Livro: A Era do Consenso: um manifesto para uma nova ordem mundial
Autor: George Monbiot
Ano: 2004

A Era do Consenso é uma análise crítica sobre os fenômenos econômicos, que mostra caminhos para combater as imposições, principalmente do FMI, a Organização Mundial do Comércio e o Banco Mundial.

É um livro que levanta sem medo, alguns graves problemas, mas ao mesmo tempo, mostra que há soluções, assim como o próprio autor diz “Ao procurar as condições necessárias para a criação de uma era do consentimento, não tentei ser original. Adotei soluções já existentes que me pareceram eficazes. Mas revisando e aperfeiçoando os argumentos em que se apóiam.”

“Uma admirável experiência para abrir nossa mente a novas possibilidades e esferas de debate” Daily Telegraph.

O Mundo de Vidro

20 nov

Livro: O Mundo de Vidro
Autor: Maurício Gomyde
Ano: 2011

Há um homem de uns 30 e poucos anos, com uma vida normal, um trabalho mais ou menos, poucos amigos, barriguinha de chope, que não chama atenção, mas é desajeitado o que o torna engraçado. Há também uma mulher, linda, 20 e poucos anos, inteligente, independente, e que freqüenta lugares badalados, e fez ele se apaixonar a primeira vista.

Essa história pode ser interessante e ainda surpreendente, pois a primeira vez que ele à viu, foi quando ele perdeu o metrô para o trabalho e a encontrou, sentada no último vagão. Coincidência ou destino? Ele pensa que esse atraso teve algum motivo, então ficamos com o “destino”. Com isso, ele passa a “se atrasar” todos os dias, para encontrá-la no vagão, sendo que alguns dias não havia.

Um dia ele resolva segui-la e acaba se matriculando no curso de Economia que ela é professora, mas achando que seria seu colega de classe. Eles se conhecem e depois muiiitas coisas acontecem, e será que eles ficarão juntos no final?

E afinal, O mundo de vidro seria D’ele ou D’ela? Um mundo paralelo onde os dois tem os momentos deles, dividem seus carinhos, felicidades e todo amor que sentem pelo outro. Mas não pense que são os dois que eu citei a cima, pois O Mundo de Vidro é um “livro” que a personagem principal vai recebendo em capítulos e gostaria muito de fazer parte dele.

Inimigo Brutal

9 jul

Livro: Inimigo Brutal
Autor: Jack Higgins
Ano: 2000

Quando comecei a ler as primeiras páginas, não sabia que em minhas mãos estava um dos melhores romances policiais de ação que já li.

Inspirado em conflitos políticos e religiosos da década de 60 e 70, que até hoje assolam a Irlanda, é narrado em terceira pessoa nesta mesma época. Este período de violência aterrorizou a população do Reino Unido, e a independência da Irlanda deixou muitas vítimas.

O lendário líder desta luta, Colum O’Moore, doente e com pouco tempo de vida, resolver dar uma cartada decisiva para terminar bem o pouco tempo que resta de sua vida. Ao mesmo tempo, Sean Rogan, o mais duro soldado que o IRA (Exército Republicado Irlandês) teve na época, planeja escapar de uma das mais seguras prisões britânicas.

A ligação dos dois parece distinta, mas com a fuga de Rogan, o superintendente-chefe Vanbrugh, que já teve sua vida salva por ele, terá uma longa jornada para capturá-lo.

Morro dos Ventos Uivantes

16 jun

 

Livro: Morro dos Ventos Uivantes
Autora: Emily Bronte
Ano: primeiro lançamento 1847

Um dos romances mais fascinantes já escritos. Uma história com muito amor, ódio e mistério. Com muita vingança e intensidade, conta a história de um amor não correspondido.

A maior parte da história é narrada em primeira pessoa pelo Sr. Lockwood, outras vezes por Nelly.

O Sr. Lockwood é um novo inquilino da Fazenda Thrush Cross, que é propriadade do Sr. Heatchcliff. A fazenda fica em Ventos Uivantes. Lockwood faz uma visita de cortesia ao dono das terras alugadas e acaba entendendo a ligação de Heatchcliff com uma moça e rapaz que estavam juntos na hora da visita. Este evento faz crescer uma curiosidade em Lockwood, pois ele queria descobrir mais sobre está família, que para ele era muito estranha. Acaba conhecendo a governanta, Nelly, e vai a persuadindo para poder descobrir mais sobre a família.

Com isso, a história volta no tempo de quando Heathcliff era apenas um garoto. Ele foi encontrado abandonado pelo Sr. Earnshaw, que acabou levando-o para sua casa. Mas Earnshaw tinha um filho e uma filha, Hindley e Catherine. Catharine tinha a mesma idade de Heathcliff. Sr. Earnshaw tratava Heathcliff como se também fosse seu filho, e isso irritava Hindley, pois todos na fazendo o achavam estranho, menos Catharine, que o adorava.

Com a morte de Earnshaw, Hindly se volta totalmente contra Heathcliff, tratando-o como os funcionários da fazenda e dificultando sua educação. Faz de tudo para separar ele e Catherine, não aceitando a amizade dos dois. Ele começa a tentar aproximar Catherine com Edgar Lintons, que era de uma família rica e respeitada. Edgar começa a gostar de Catherine, mas isso irrita Heathcliff.

Heathcliff não era nenhum pouco gentil e cavalheiro, assim Catherine resolve aceitar o pedido de casamento de Lintons. Ela conta a Nelly, que casar com Heathcliff estragaria sua reputação. Ele escuta e fica profundamente magoado, e acaba deixando o Ventos Uivantes.

Catherine não aceita a partida de Heathcliff, e Edgar se casa com ela para ajudá-la a suportar a dor. Ela começa uma nova vida casada com Edgar, mas um dia Heathcliff retorna…

Desejo de Pânico

10 maio

Livro: Desejo de Pânico
Autor: Laura Reese

Desejo de Pânico conta a história de Carly, uma mulher de trinta e dois anos que nada se lembra de sua vida até os dezessete. A única “lembrança” são as cicatrizes das diversas cirurgias plásticas que fez, pois aos dezessete anos foi encontrada abandonada entre a vida e a morte, semi enterrada na beira de uma estrada. Ficou em coma e sem identificação no hospital e ninguém foi procurá-la. Quando saiu do hospital tinha um novo rosto, um novo corpo, uma nova identidade e uma nova vida.

O livro começa com Carly, em uma sala esperando pelo seu julgamento. E a história passa como se ela estivesse lembrando.

Quem é ela e o que lhe teria acontecido? Carly fica obcecada em descobrir a verdade para que a pessoa que fez aquilo com ela pague!

Depois de dezessete anos, após folhear uma revista e ver a foto de James McGuane, ela o reconhece, pensando que talvez ele seja o culpado por tê-la abandonado sem dar chance de ela viver. Então as pistas a levam à vinícola Byblos, onde vive James, sua irmã gêmea Gina e sua mãe.

Após algumas semanas trabalhando como cozinheira da vinícola, Carly se envolve com James, que tem um imenso carisma sexual e parece guardar a chave de seu passado. Os dois começam uma jornada erótica, como desejos e um perigoso jogo sado-masoquista, onde Carly novamente expõe a vida para descobrir seu passado.

A Lição Final

27 abr

Livro: A Lição Final
Autor: Randy Pausch

A Lição Final conta a história de Randy Pausch, professor de Ciências da Computação, Interação Homem-computador e Design na Carnegie Mellon University.

O livro é um misto de sua vida e da sua palestra de despedida, que foi apresentada após descobrir que tinha câncer no pâncreas e que seus dias eram limitados.

Randy decidiu abordar na palestra duas questões: Como aproveitar um tempo tão limitado? O que temos de mais precioso a ensinar aos nossos filhos?

Casado e com dois filhos pequenos, Randy sabia que não estaria mais presente na educação deles, e resolveu gravar a palestra para que no futuro, eles vissem o quanto ele os amava.
Uma história muito emocionante de tristezas, surpresas, alegrias de viver sonhos realizados e principalmente uma lição de vida.

A Arte de Virar a Página

25 abr


Livro: A Arte de Virar a Página
Autor: Adriana Falcão

Literalmente a “Arte de Virar a Página”, é um livro de frases e fotografias. E é possível lê-lo em cinco minutos. As frases são soltas e curtas, às vezes sem sentido, que falam da inquietação e cotidiano do universo feminino. Mas sempre com senso de humor. Mostra como a mulher consegue estar triste e logo já se alegrar.

As imagens são de Leonardo Miranda.

O Ateneu

20 abr


Livro: O Ateneu
Autor: Raul Pompéia

Um misto de realidade e ficção.

Obra do realismo brasileiro, ambientado em corrupção, hipocrisia e um colégio-internato, tendo como personagem principal: Sérgio, que narra de adulto suas lembranças da infância.

O Ateneu era um grande colégio da época. Durante o primeiro ano, Sérgio fez muitas amizades, Robelo, Saches, Franco e Barreto e sempre envolvendo algum acontecimento.

Quando começou a se interessar por livros e frequentar mais a biblioteca, conheceu Júlio e Bento. E nas férias do primeiro ano, teve um briga com Bento.

No segundo ano aprontou algumas coisas e conheceu, Egbert. Nas férias do segundo ano, Sérgio ficou muito doente e teve que ficar aos cuidados do diretor, pois sua família estava viajando para a Europa. Isso fez com que ele se afeiçoasse muito com Dona Ema, mulher de Aristarco, o diretor, e quase esquecendo-se da sua mãe.

Sérgio encerra suas recordações em uma manhã que um aluno chamado Américo, recém-chegado e obrigado a ficar no Ateneu, coloca fogo no colégio.

Iracema

19 abr

Livro: Iracema
Autor: José Alencar

Iracema faz parte de uma trilogia, junto com O Guarani e Ubirajara.

Conta a história de Martim e Iracema. Ele branco, de paz e ela índia, cabelos negros e lábios como mel. Se conheceram quando Martim estava caçando, perdido dos colegas e Iracema percebendo a movimentação estranha, acertou-lhe uma flecha. Como viu que ele não reagiu, decidiu prestar ajuda ao homem que ela havia machucado.

Durante a estadia de Martim na cabana de Araquém – pai de Iracema – foi tratado com o melhor da tribo. Mas ele resolveu ir embora e Iracema foi atrás dele para saber se alguém havia feito-lhe mal, para ir embora sem avisar. Martim viu que ela estava magoada e notou sua ingratidão, desculpando-se.

Martim quis ficar na tribo para amar Iracema, mas ela o alerta de que quem se relacionar com ela, morrerá, pois é filha de pajé. Com um beijo os dois se despediram. Ao sair da tribo Martim entra em guerra com Irapuã e mesmo que Iracema pedisse para que ele fugisse, ele não o fez. Poti, um amigo de Martim foi até a aldeia para libertá-lo. Iracema prometeu fidelidade a Martim. Mas para que ele fosse realmente salvo, teria que ser escondido numa cabana de baixo de uma pedra.

Na cabana Martim sonha que está abraçando Iracema, mas na verdade ela realmente o abraçava e quando acorda diz a ela: Só posso tê-la em sonho. E ela guardou o abraço real, o que já a tornava sua esposa.

Mesmo os dois se amando, Martim começou a sentir falta “de sua gente”, mas não queria afastar Iracema de sua terra. Iracema estava grávida e acreditava que Martim estava com saudades da namorada branca que deixou para trás. Mesmo que ele negace, ela não acreditava. Prometeu a ele que assim que o filho deles nascesse, ela o deixaria viver a vida que quisesse.

Enquanto Martim lutava com uns guerreiros que chegaram de navio, Iracema teve o filho sozinha. Estava triste e de tanto chorar acabou perdendo o leite que alimentaria a criança. E cada vez mais Iracema perdia o apetite e as forças, por causa da tristeza.

Quando Martim voltou do combate, Iracema só teve forças de levantar a criança e apresentá-la ao pai. Suas últimas palavras foram: que a enterrasse ao pé do coqueiro de que ela gostava. O lugar onde ela foi enterrada chamou-se Ceará.
Martim voltou para sua terra, junto com seu filho e quatro anos depois voltaram ao Ceará, para Martim implantar a fé cristã.

%d blogueiros gostam disto: